Greve dos bancários atinge todo o país


Agências bancárias de SP amanheceram cheias de adesivos, cartazes e faixas sobre a greve

da Redação, em São Paulo

A greve dos bancários já atinge agências em todo o país, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). No final da tarde a entidade deve divulgar um balanço sobre a adesão à greve.

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) divulgou no final da manhã desta quarta-feira que respeita o direito de greve, mas que não irá admitir “piquetes contratados que barram o acesso da população às agências e postos bancários”.

A Fenaban indica como alternativas para pagar as contas e fazer operações o atendimento via caixas eletrônicos ou pela internet. Também é possível usar os 140 mil postos de correspondentes bancários pelo país – como lotérias, supermercados e agências dos Correios.

A paralização por tempo indeterminado foi decidida na noite de terça-feira (28) em assembleias. Os bancários rejeitaram a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de reajuste de 4,29%.

Reivindicações

Entre as reivindicações, os bancários pedem aumento de 11% (7% de aumento real, mais 4,29% de reposição da inflação medida pelo INPC), Participação nos Lucros e Resultados (PRL) de três salários mais R$ 4 mil fixos, aumento dos pisos salariais e dos valores do auxílio-refeição, da cesta-alimentação e do auxílio creche.

“Isso demonstra a indignação dos bancários com a postura dos bancos. Nós advertimos na mesa de negociações que eles estavam empurrando a categoria para a greve ao propor apenas os 4,29% e rejeitar todas as demais reivindicações, mesmo apresentando um crescimento médio no lucro de 32% no primeiro semestre”, afirma Carlos Cordeiro, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e coordenador do Comando Nacional dos Bancários, em nota divulgada a imprensa.

Segundo a entidade, somente os cinco maiores bancos do país (Banco do Brasil, Itaú Unibanco, Bradesco, Santander e Caixa) tiveram lucro líquido de R$ 21,3 bilhões nos primeiros seis meses do ano. “Com esses resultados, conseguidos em grande medida pelo esforço e pelo aumento da produtividade dos bancários, é inaceitável a intransigência dos banqueiros”, diz Carlos Cordeiro.

A Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) que está sendo negociada com os bancos inclui todos os 470 mil bancários do país, que têm data-base em 1º de setembro. Desde 2004, a categoria recebe aumentos reais de salário.

Bancos

A Fenaban (Federação Nacional de Bancos) afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que espera uma contraproposta dos bancários e que já propôs reajuste “partindo da reposição de 4,29%, correspondentes aos índices da inflação, na busca do percentual fina”.

Na nota, a entidade afirma que a média salarial da categoria é de R$ 4.111,00, “uma das maiores do país”. Além disso, diz que a jornada de trabalho é reduzida em relação ás outras categorias, já que [e de 30 horas semanais, cinco dias por semana, enquanto para outras categorias a jornada é de 44 horas semanais.

Em 2009, os bancários iniciaram uma greve também no final de setembro. A paralisação durou 15 dias, mas a greve na Caixa Econômica Federal foi estendida e durou 28 dias no total.

Fonte: Uol.com.br

“UOL Economia” – Publicado dia 29/09/2010 às 12h22

Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s