Acidente de Trabalho Fatal em Obra da UnB

Fotos: UnB Agência.

UnB havia paralisado obra do HUB por falta de segurança

Desobedecendo à determinação do fiscal, empresa Anhanguera Engenharia retomou trabalhos à noite. Os corpos dos três operários já foram retirados dos escombros

– Da Secretaria de Comunicação da UnB

Os corpos dos três operários soterrados hoje de manhã em uma obra do Hospital Universitário de Brasília já foram retirados. Lourival Leite, pedreiro, Nelson Holanda da Silva, auxiliar de pedreiro, e Raimundo José da Silva, carpinteiro, trabalhavam na escavação de uma vala subterrânea para passagem de esgoto quando um barranco desmoronou. Veja aqui as fotos.

Na tarde de ontem, a universidade interditou a obra por falta de condições de segurança. Jozafá Alves Cordeiro, fiscal do Centro de Planejamento Oscar Niemeyer (Ceplan) da UnB, ordenou aos operários que interrompessem o trabalho. “Enquanto não organizar, não vai voltar”, afirmou na ocasião. Ele notificou o engenheiro responsável da construtora Anhangüera Engenharia dos problemas. O engenheiro pediu um relatório que seria incorporado ao diário de obras. Veja abaixo o relatório enviado à empresa:

Clique para ampliar

Entretanto, a empresa desobedeceu à determinação da UnB e retomou os trabalhos à noite, inclusive a escavação da vala onde os operários foram soterrados, que havia começado na semana passada. O trabalho teria durado até as 22h de ontem.

Jozafá ficou surpreso quando chegou ao local hoje pela manhã e viu a situação. Para comprovar a falta de segurança dos trabalhadores, tirou fotos que mostram a situação da vala momentos antes do acidente. A intenção era impor uma multa à empresa. A obra não estava sendo acompanhada por um técnico do trabalho, que deveria ser contratado pela construtora.

LUTO – “Estou consternado com a situação, especialmente em relação às famílias das vítimas”, disse o reitor José Geraldo de Sousa Junior. “Espero que possamos ter um quadro claro das quebras de procedimentos de segurança por parte da empresa”.

O vice-reitor João Batista, ex-diretor do hospital, emocionou-se em entrevista a jornalista. “Apesar de os operários serem contratados pela empresa, eles estavam trabalhando por uma causa nobre para a UnB”, disse, chorando. A UnB decretou luto oficial de três dias.

Um comissão de sindicância foi criada para apurar as responsabilidades pelo acidente. Ela será composta por um professor da Engenharia da UnB, um especialista da Novacap e um representante do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA).

Desde a semana passada, o fiscal da UnB, Josafá Alves Cordeiro, tem feito notificações sistemáticas para a Anhanguera Engenharia. Ele advertia que poderia haver um desbarrancamento. “A vala era muito grande, reta e sem escoramento”, afirma. Josaphat conta que a última advertência foi feita ainda hoje pela manhã, dizendo que a obra precisava parar imediatamente.

Fotos: UnB Agência

 Vala tinha seis metros de profundidade antes do acidente

O operário Valdinei Pereira da Silva se recusou ontem a descer na vala. Segundo os funcionários, o mestre de obras estava obrigando-os a trabalhar mesmo sem as medidas de segurança. Após o acidente, o mestre fugiu do local.

Assistentes sociais da UnB já estão em contato com as famílias das vítimas para prestar apoio. As famílias de Nelson e Raimundo estão no local. Raimundo tinha 24 anos e deixou uma esposa de 22 e um filho de 2. Eles estão sendo atendidos no ambulatório do HUB por uma equipe de duas psicólogas, um psiquiatra e duas assistentes sociais.

HISTÓRICO – O Instituto da Criança e do Adolescente começou a ser construído em 2006. A construtura então responsável faliu e os trabalhos ficaram parados de 2008 até fevereiro deste ano. É uma unidade do Hospital Universitário de Brasília (HUB) destinada a atender serviços de pediatria de média e alta complexidade. A unidade vai oferecer atendimento ambulatorial e de emergência a todos os meninos de meninas de zero a 18 anos do DF.

O hospital foi planejado para socorrer de 150 a 200 enfermidades graves por dia. O projeto do prédio de quatro andares e 6,415 mil metros quadrados conta com uma estrutura de 20 consultórios pediátricos, o dobro do HUB, 70 leitos no ambulatório, 10 leitos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), quatro salas de centro cirúrgico e 18 salas de ambulatório.

Fonte: UnB.br

“UnB Agência” – Publicado em 21/07/2011 às 09h58

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Acidente de Trabalho Fatal em Obra da UnB

  1. Eduardo disse:

    Muitas empresas demonstram que não estão nem aí para os operários.
    Mesmo sabendo da dificuldade e do perigo nas obras os chefes que são pressionados a entregar as obras em prazos curtíssimos obrigam os trabalhadores a realizar serviços que expõem totalmente sua segurança.
    Existe também os acidentes ocasionados pela negligencia da utilização do material de proteção, muito frequente em obras.
    Caso alguém queira saber mais, irei compartilhar um artigo interessante.
    http://www.buenoepi.com.br/equipamentos-de-protecao/consequencias-do-mau-uso-de-oculos-de-seguranca-e-como-usa-los-corretamente/
    Abraços!
    Eduardo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s