Greves prejudicam 250 mil usuários de ônibus nas zonas leste e oeste de SP

Em São Paulo

Imagens do dia24 fotos

12 / 24

Garagem da empresa de ônibus Itaquera Brasil fica lotada durante paralisação de motoristas e cobradores, em Itaquera, na zona leste de São Paulo, nesta quarta-feira (4), prejudicando usuários de coletivos na região. Para evitar o impacto da paralisação, a SPTrans (responsável pelo transporte coletivo na cidade) acionou o sistema Paese (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência) com 65 ônibus extras para atender cinco das 21 linhas operadas pela empresa Leia mais Marcos Bezerra/Futura Press

Uma greve dos motoristas e cobradores de ônibus de duas empresas afeta cerca de 250 mil passageiros das zonas leste e oeste de São Paulo na manhã desta quarta-feira (4). Alegando atraso no pagamento dos salários, os funcionários da empresa Itaquera Brasil, responsável por 24 linhas que atendem a região leste, cruzaram os braços nesta manhã. Já a greve dos trabalhadores da Oak Tree, que atende a zona oeste da cidade, entra no seu quinto dia.

Segundo a São Paulo Transportes (SPTrans), ao menos 230 ônibus deixaram de circular na zona leste, afetando 200 mil usuários. Os grevistas bloquearam uma das garagens da Viação Itaquera, na Estrada do Iguatemi, por volta das 7h. A SPTrans acionou o Plano de Atendimento entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência (Paese), mas apenas 65 coletivos atendem cinco das principais linhas paralisadas.

Também pelo atraso no pagamento de salários e benefícios, motoristas e cobradores de nove linhas da Oak Tree deixaram de circular no sábado (31). Oito linhas operam pelo sistema Paese. A SPTrans estima que a paralisação prejudica, diariamente, cerca de 42 mil usuários.

Os passageiros da linha 3-Vermelha do Metrô, que liga justamente as zonas leste e oeste da capital, também enfrentam reflexo das greves. Nesta manhã, vários usuários reclamavam, pelo Twitter, da demora para embarcar nas estações da linha. A situação ficou ainda mais complicada no início do dia, por volta das 7h, quando a chuva obrigou os trens a circularem em velocidade reduzida. A linha vermelha é a mais movimentada do sistema: a média diária de passageiros é de 1,5 milhão.

Fonte: Estadão Conteúdo

“UOL Notícias” – Publicado em 04/09/2013 às 09h10

Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Greves prejudicam 250 mil usuários de ônibus nas zonas leste e oeste de SP

  1. Jaqueline Amaral disse:

    Pelo menos as greve aí em São Paulo estão acabando… Imaginem aqui no Rio que tem manifestação todos os dias por causa dessa CPI dos ônibus que não serva para nada? Só serve para vândalos terem um pretexto para destruir a cidade!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s